Grupo Rumo
Formação original: Akira Ueno, Ciça Tuccori, Gal Oppido, Geraldo Leite, Hélio Ziskind, Luiz Tatit, Ná Ozzetti, Paulo Tatit, Pedro Mourão, Zecarlos Ribeiro.

No ano de 1974, o Rumo começou a produzir canções com novo tratamento em termos de composição e de arranjo. Merecem destaque o papel das entoações da fala cotidiana nas composições e o papel da instrumentação valorizando a linha principal do canto nos arranjos.

A partir de 1977, o grupo (10 integrantes) iniciou uma atividade paralela de recriação interpretativa de canções de nosso passado musical, elegendo principalmente aquelas menos divulgadas de compositores como Noel Rosa, Lamartine Babo, Sinhô e outros.

Tudo isso resultou, em 1981, na gravação de dois LPs independentes, lançados simultaneamente, que registraram os melhores momentos desses dois trabalhos realizados pelo Rumo. Esses discos (Rumo e Rumo aos Antigos), apesar da dificuldade de distribuição, atingiram a casa das 20 mil cópias vendidas e deram ao grupo dois prêmios outorgados pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes): "Melhor Grupo Vocal" e "Melhor Grupo Instrumental" de 1981.

Em 1983, o Rumo lança Diletantismo, seu terceiro LP, continuando as experiências registradas nos trabalhos anteriores e encontrando grande recepção em rádios de São Paulo e Rio com a canção "Ladeira da Memória".

Em 1985, foi a vez de Caprichoso, o quarto LP, que mais uma vez surpreende críticos e público. As canções estão mais amadurecidas e comunicativas sem, no entanto, perderem o caráter experimental peculiar ao grupo. As apresentações ao vivo são especialmente elogiadas sendo apontadas como "melhor show do ano" por alguns jornais e revistas de São Paulo. Esse disco contém Delírio Meu! e o samba enredo Release que conta a história do próprio grupo.

Em 1988, o Rumo lança, pelo selo Eldorado, o tão anunciado disco infantil: Quero passear. Recebe, por esse trabalho, mais dois prêmios, desta vez concedidos pela Sharp: "Melhor disco infantil de 1988" e "Melhor canção infantil" com a música: "A noite no castelo".

Em 1989, o selo Eldorado apresenta uma antologia dos melhores momentos do grupo, lançando na praça o LP O Sumo do Rumo. Em 1990, o Rumo retorna à cena com um show inteiramente novo, apresentando-se em São Paulo (Ópera Room e Centro Cultural São Paulo), Rio de Janeiro (Circo Voador) e Curitiba (teatro Paiol).

Finalmente, em 1991, o grupo reúne suas composições mais recentes para a apresentação e gravação de um CD ao vivo no Teatro do Sesc-Pompéia. Este último trabalho, Rumo ao vivo, foi lançado pelo então novo selo Camerati, no segundo semestre de 1992, e conquistou, mais uma vez, o prêmio outorgado pela APCA como o melhor grupo do ano.

Em 2004, o Rumo relança seus seis álbuns em formato de CD, com show e exposição sobre sua trajetória musical, no Sesc-Pompéia, dias 19, 20 e 21 de março. Esse show foi reapresentado no mesmo local em 7 de junho do mesmo ano para a filmagem de um DVD.

Conheça o site do Grupo Rumo: www.gruporumo.com.br